Acentos.
PNUMAPNUD
Edición Impresa
MEDIOAMBIENTE Y DESARROLLO
 
Inter Press Service
Buscar Archivo de ejemplares Audio
 
  Home Page
  Ejemplar actual
  Reportajes
  Análisis
  Acentos
  Ecobreves
  Libros
  Galería
  Ediciones especiales
  Gente de Tierramérica
                Grandes
              Plumas
   Diálogos
 
Protocolo de Kyoto
 
Especial de Mesoamérica
 
Especial de Agua de Tierramérica
  ¿Quiénes somos?
 
Galería de fotos
  Inter Press Service
Principal fuente de información
sobre temas globales de seguridad humana
  PNUD
Programa de las Naciones Unidas para el Desarrollo
  PNUMA
Programa de las Naciones Unidas para el Medio Ambiente
 
Acentos


Jogos Centro-Americanos ignoram limpeza ambiental

Por Blanca Abarca*

Os organizadores não cuidarão da coleta de milhares de toneladas de lixo que a competição deixará. São esperados cerca de 6500 atletas e 20 mil visitantes.

SAN SALVADOR.- Dez importantes centros esportivos dos XIX Jogos Centro-Americanos e do Caribe, que serão realizados em San Salvador, entre 23 de novembro e 7 de dezembro, produzirão mais de 4500 toneladas de lixo, segundo cálculos oficiais. “Diariamente serão produzidas cerca de 30 toneladas de lixo em cada um dos dez centros da capital”, disse ao Terramérica o gerente de saneamento ambiental da prefeitura de San Salvador, Jorge Gonzalez. Apenas na vila olímpica, que alojará 6500 atletas de 30 países, o Comitê Organizador San Salvador 2002 (Cossal) prevê cerca de 75 toneladas de lixo orgânico nos 15 dias de competições.

Ainda não se sabe quanto lixo será produzido nos hotéis, onde se hospedarão cerca de 20 mil visitantes. “Não temos dinheiro para a coleta de lixo”, admitiu o gerente geral do Cossal, Juan José Gomez. Diante da advertência, o governo local estimou o custo da coleta em US$ 35 mil e anunciou que destinará quatro caminhões, duas varredoras mecânicas e 40 pessoas para cuidar do lixo nas sedes esportivas. A Organização Desportiva Centro-Americana e do Caribe não leva em conta padrões de qualidade ambiental quando designa a sede oficial dos jogos.

Doze estádios habilitaram-se este ano para a competição. Também serão sedes o lago de Coatepeque, uma fazenda particular e um pedaço da costa ocidental no Pacifico, onde serão realizadas as competições de remo, equitação e triatlo. “Haverá embalagens plásticas de alimentos e água, que não são amigáveis com o meio ambiente”, disse o diretor da Unidade Ecológica Salvadorenha, Maurício Sermeno.

O técnico Marco Antonio Gonzalez, do Centro de Estudos de Tecnologia Apropriada, lamentou que o Cossal não destine nem mesmo 25% de seus gastos publicitários para promover a redução e reciclagem de lixo durante a competição. O gerente do Cossal respondeu dizendo que na vila olímpica serão utilizados utensílios laváveis para evitar embalagens descartáveis e cerca de 250 voluntários vigiarão a limpeza do lago Coatepeque.

* A autora é jornalista e colaborada do Terramérica.


Copyright © 2001 Tierramérica. Todos los Derechos Reservados
 

 

Enlaces Externos

XIX Jogos Centro-Americanos e do Caribe

Prefeitura de San Salvador

União Ecológica Salvadorenha

Tierramérica no se responsabiliza por el contenido de los enlaces externos