Va al Ejemplar actual
PNUMAPNUD
Edición Impresa
MEDIOAMBIENTE Y DESARROLLO
 
Inter Press Service
Buscar Archivo de ejemplares Audio
 
  Home Page
  Ejemplar actual
  Reportajes
  Análisis
  Acentos
  Ecobreves
  Libros
  Galería
  Ediciones especiales
  Gente de Tierramérica
                Grandes
              Plumas
   Diálogos
 
Protocolo de Kyoto
 
Especial de Mesoamérica
 
Especial de Agua de Tierramérica
  ¿Quiénes somos?
 
Galería de fotos
  Inter Press Service
Principal fuente de información
sobre temas globales de seguridad humana
  PNUD
Programa de las Naciones Unidas para el Desarrollo
  PNUMA
Programa de las Naciones Unidas para el Medio Ambiente
 
Ecobreves

 
 

MERCOSUL: Invasão de mexilhões dourados

RIO DE JANEIRO.- O Brasil anunciou um plano de emergência contra o mexilhão dourado (Limnoperna fortunei), convertido em praga em toda a bacia do Rio da Prata, e propôs no dia 22 de abril, em Brasília, aos seus sócios do Mercosul (Argentina, Paraguai e Uruguai) um programa de controle de espécies aquáticas invasoras.

Tais espécies são transportadas na água usada como lastro pelos navios para se estabilizarem, e se multiplicam rapidamente por não terem inimigos naturais no novo hábitat. É o caso do mexilhão dourado, originário da Ásia, que apareceu pela primeira vez no Rio da Prata em 1991.

Esses mexilhões obstruíram tubulações da hidrelétrica argentino-paraguaia de Yaciretá e numerosas centrais brasileiras enfrentam ameaça semelhante.
É melhor adotar medidas de prevenção, porque combater a invasão custa muito mais caro, disse a ministra do Meio Ambiente, Marina Silva.

 
 

CUBA: Aumenta a área de floresta

HAVANA.- Cuba aumentou de 13,4% para 23% a superfície de seu território coberto por florestas, ao aplicar uma estratégia que nos últimos anos incorporou a criação de fazendas florestais.
Dados oficiais indicam que as florestas cubanas somam hoje mais de 130 milhões de metros cúbicos de madeira aproveitável e seu potencial de crescimento anual é de 7,5 milhões.

Os programas de reflorestamento incluem 50 mil hectares por ano, enquanto o corte para extração de madeira á calculado em menos de 20 mil hectares por ano.

O corte indiscriminado realizado desde o século XV até a primeira metade do século XX reduziu as áreas de florestas para 13,4%.

Nas fazendas florestais, cerca de 700 em todo o país, são aplicadas técnicas de fomento e preservação das espécies, bem como métodos adequados para evitar os incêndios, freqüentes causadores da destruição de árvores no país.

 
 

VENEZUELA: Depois da sede, inundações

CARACAS.- Desejada durante meses de intensa seca, a temporada de chuvas na Venezuela, que normalmente vai de maio a outubro, chegou tarde, na última semana de abril, com sua face mais temida.

Uma menina de seis meses e um operário de 32 anos moreram afogados com o transbordamento do Rio Guaire, em Caracas, várias dezenas de famílias perderam casas e bens e os bombeiros evacuram 50 casas no leste da capital.

No sudoeste andino, fronteiriço com a Colômbia, e ao sul do Lago de Maracaibo, inundações afetaram várias localidades e estradas.

A destruição de florestas que servem de sustentação ambiental, “mais a insuficiência de drenagem da água da chuva em lugares onde aumentam as construções ilegais, fazem com que muitos sedimentos corram para as estradas, obstruindo os acessos”, explicou Jorge Molina, do Departamento de Alerta e Desastres dos Bombeiros Metropolitanos.

“Perde-se a conta da quantidade de casas de três e quatro andares construídas em zonas ilegais. O crescimento urbano é cada vez maior, e não são respeitados os parâmetros do ambiente”, acrescentou.

 
 

AMÉRICA DO SUL: Parlamentares e ativistas pela energia renovável

SANTIAGO.- Integrantes do Parlamento Latino-Americano e líderes de organizações da sociedade civil se reuniram, na capital chilena, para impuslionar o desenvolvimento na América do Sul de políticas públicas que incorporem fontes renováveis e sustentáveis na matriz energética.

O encontro, realizado nos dias 29 e 30 de abril e organizado pela Comissão de Energia do Parlamento Latino-Americano e pelo Programa Cone Sul Sustentável, reuniu delegações do Brasil, Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia e Uruguai, na sede da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe.

A atividade fez parte dos preparativos regionais para a Conferência Mundial sobre Energias Renováveis, que acontecerá em junho na cidade alemã de Bonn.

O Programa Chile Sustentável disse que a atual crise de fornecimento de gás argentino para o Chile deve dar lugar a uma profunda reforma da matriz energética do país e na América do Sul em geral, que estimule o desenvovimento de fontes alternativas, renováveis e sustentáveis.

 
 

ITÁLIA: Condenada matança de focas no Canadá

MILÃO.- O aumento da caça de focas no Canadá é “inaiceitável” para a Itália e pedimos ao governo que tome medidas para detê-la, como fizeram os Estados Unidos e a Bélgica, disse ao Terramérica Valério Calzolaio, secretário da Câmara de Deputados.

No dia 27 de abril, a Comissão de Assuntos Internacionais da Câmara emitiu uma resolução condenando a matança de focas no Canadá, onde foi autorizado aumentar para um milhão o número de animais a serem mortos nos próximos três anos.

Em reação à matança, Estados Unidos e Bélgica proibiram a importação, exportação e venda de pele de foca e seus derivados.
A Itália é um dos maiores produtores mundiais de casacos e outros artigos de vestuário feitos a partir da pele de foca, e é um grande importador de óleo desse espécie para consumo humano.

Pelo menos 40% das peles de foca que esse país compra procedem do Canadá.

Segundo Calzolaio, é necessário criar uma legislação que regule a indústria de peles.

 
 

HONDURAS: Sacerdote encabeçará marcha pela vida e pelo meio ambiente

TEGUCIGALPA.- O sacerdote Andrés Tamayo, ativista em favor do meio ambiente, prepara, para o dia 25 de junho, a primeira Marcha Nacional pela Vida em Honduras, que busca, especialmente, arrancar do governo compromissos contra o desmatamento e a exploração mineral.

Tamayo disse ao Terramérica que o problema do corte ilegal de florestas não foi detido no departamento de Olancho, e que “os compromissos fixados pelo governo continuam paralisados. Estamos perdendo a floresta, o corte ilegal de madeira não pára, e em outras regiões do país a exploração de minas também está cheia de irregularidades”.

“Não resta outro remédio a não ser uma mobilização nacional pacífica, mas contundente, para dizer ao governo que estamos esperando suas respostas”, acrescentou o sacerdote, que iniciou viagens ao interior do país para coordenar a mobilização.

De nacionalidade salvadorenha, Tamayo liderou em junho de 2004 uma marcha pela vida em Olancho, onde reside há mais de 20 anos, orientada para o problema das florestas e que foi um sucesso.



* Fonte: Inter Press Service.


Copyright © 2007 Tierramérica. Todos los Derechos Reservados