PNUMA PNUD
Ecobreves
Edição Impressa
MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO
English Version Versión en Español
Buscar Archivo de ejemplares  
 
  Home Page
  Reportagens
  Análise
  Destaques
  Ecobreves
  Galeria
  Gente de Terramérica
                Grandes
              Nomes
   Entrevistas
  ¿Quem somos?
  Inter Press Service
Principal fonte de informação sobre temas globais de segurança humana
  PNUD
Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento
  PNUMA
Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente


Ecobreves

 
 

MÉXICO: Saúde do planeta será pesquisada

MÉXICO.- No próximo ano começará a operar um centro de observação climática de grande altitude no México, que será o primeiro de seu tipo na Mesoamérica e no Caribe. Localizado a mais de quatro mil metros acima do nível do mar, medirá, entre outros indicadores, o ozônio de grande altitude e o dióxido de carbono, gases que alteram a saúde do planeta. “Fazendo uma analogia, diríamos que neste novo centro vamos medir a pressão e o açúcar, o colesterol e o pulso do planeta”, disse ao Terramérica Luis Roberto Acosta, coordenador do projeto e diretor no México do Sistema Internacional de Monitoramento Ambiental.
Será o vigésimo-quarto centro de observação do clima no mundo e estará localizado em um lugar chamado Cofre de Perote, no Estado de Veracruz, no litoral do Golfo do México. Os instrumentos de medição serão fornecidos pela Administração de Oceanos e Atmosfera dos Estados Unidos (NOAA, sigla em inglês). “Há dez anos, vimos que era necessário ter um centro de monitoramento de grande altitude na Mesoamérica e finalmente agora temos cronograma e dinheiro para isso”, afirmou o cientista. O centro terá custo aproximado de US$ 1,8 milhão.

 
 

ARGENTINA: Alarme por acidente com urânio

BUENOS AIRES.- Moradores da cidade turística de San Carlos de Bariloche, na Patagônia argentina, expressaram ao Terramérica sua preocupação por um acidente com urânio em uma usina perto do centro urbano. O acidente aconteceu em outubro de 2004, no Centro Atômico Bariloche, quando dois pesquisadores manipulavam uma amostra de urânio, e foi minimizado por responsáveis da usina, embora os envolvidos tenham ficado quatro meses sob controle médico.
A informação oficial chegou apenas em julho de 2005, quando há tempos circulava amplamente a extra-oficial. “Não somos ecologistas, somos moradores preocupados com o meio ambiente e necessitamos saber”, disse ao Terramérica Concepción Moana, da organização de moradores Comunidade do Limay. Fatos como este deixam claro o risco que existe pela usina ficar a apenas dez quilômetros do perímetro urbano e dentro do Parque Nacional Nahue Huapi, acrescentou.

 
 

GUATEMALA: Persiste contaminação no lago de Atitlán

GUATEMALA.- O lago guatemalteco de Atitlán, localizado 140 quilômetros a oeste da capital e considerado o mais belo do país, está contaminado com agrotóxicos e dejetos humanos de localidades vizinhas, restaurantes e hotéis. Os agrotóxicos são usados por 75% dos agricultores que trabalham em torno do lago, cuja bacia abrange 547.752 metros quadrados, disse ao Terramérica Julio Urrea, governador do departamento de Sololá.
As autoridades ambientais realizarão uma campanha para que não seja mais jogado lixo nas ruas e nos rios, e para que seja feita a dragagem do rio São Francisco, que é o maior portador de poluição com destino ao lago, acrescentou Urrea. A localização da maior parte dos lixões irregulares leva a que os dejetos sejam levados ao lago pelas chuvas, explicou ao Terramérica Victor Arriaza, delegado da Autoridade para o Manejo Sustentável da Bacia do Lago de Atitlán e seu Entorno.

 
 

AMAZÔNIA: Acordo sobre manejo florestal

LIMA.- A promoção de sistemas agroflorestais será a estratégia para melhorar o nível da população e salvaguardar a biodiversidade na Amazônia e outras três regiões de florestas úmidas, segundo acordo subscrito no dia 24 de junho, em Washington, pelo Centro Mundial de Sistemas Agroflorestais (Icraf) e pela Conservation International (CI). O Icraf é um centro internacional de pesquisa agrícola, e o CI uma organização ambientalista. Ambos se comprometeram a somar esforços na Amazônia, nos ecossistemas montanhosos da China, nas florestas altas da Guiana e nas florestas tropicais do sudeste asiático.
Sistemas agroflorestais são o manejo integrado de reflorestamento e agricultura ou produção animal de forma simultânea ou sucessiva. Nos vulneráveis solos de florestas tropicais, servirá para equilibrar “as necessidades humanas e a conservação da biodiversidade”, garantiu ao Terramérica Johathan Cornelius, representante do Icraf no Peru.



* Fonte: Inter Press Service.

Copyright © 2007 Tierramérica. Todos os Direitos Reservados